Sangue do cordão umbilical atualização dos usos.

O transplante convencional de medula óssea utilizando sangue do cordão umbilical (TCTH) vem sendo realizado na prática clínica há mais de 30 anos. Anteriormente considerado um resíduo descartável do parto, O SCUP é rico em células-tronco. As características biológicas e imunológicas dessas células foram amplamente estudadas demonstrando que elas são uma excelente fonte para o TCTH (Transplante de células tronco hematopoéticas) porque ainda não entraram em contato com antígenos (substância estranha ao organismo), e têm maior capacidade de proliferação e diferenciação do que outras células-tronco adultas. Outras vantagens do uso destas células-tronco para procedimentos de transplante convencional de medula óssea, são que para sua obtenção não há nenhum dano às mães e ao bebê e, uma vez armazenado, este produto está pronto para uso. Diferente das células-tronco hematopoéticas obtidas da medula óssea, é aceitável uma menor compatibilidade entre o doador e o receptor, e é relatado uma menor incidência e gravidade da doença do enxerto contra o hospedeiro no caso do uso de células-tronco de doadores.  Atualmente, o TCTH é amplamente usado em doenças malignas, não malignas, hematológicas, congênitas e metabólicas.

Em revisão, publicada esse ano 1, os autores tiveram como foco a avaliação do desenvolvimento do Transplante de Medula Óssea, utilizando o sangue do cordão umbilical nos últimos 30 anos, os desafios enfrentados e as estratégias para melhorias de todo o processo. Dentre os desafios apresentados estão a seleção da unidade qualificadas para o uso com relação ao tipo de regimes de condicionamento do paciente para receber transplante. Os autores concluem que o SCUP continua sendo excelente opção de doador viável para o TCTH por sua rápida disponibilidade, transporte fácil, especialmente durante a pandemia COVID-19, menor imunogenicidade, menor incidência e gravidade da doença crônica do enxerto contra o hospedeiro (DECH) e o maior efeito na destruição das células tumorais.

A utilização do SCUP em áreas diferentes do TCTH tem sido objeto de estudos clínicos que avançam a cada dia. Exemplo disso foi um estudo recentemente publicado com a aplicação de células do SCUP em paciente com síndrome respiratória aguda grave induzida por um tipo específico de bactéria oportunista, Pneumocystis carinii, que acomete muitos pacientes imunodeprimidos. O paciente não apresentou melhora após o tratamento convencional. No entanto, sua doença reverteu 5 dias após infusão de SCUP de um doador. Após a infusão, seu sistema imunológico foi ativado e reparado. Os autores concluem que o SCUP, de um doador compatível, pode tratar a SRAG(Síndrome Respiratória Aguda Grave) reparando a via de sinalização para a resposta imune, alcançando assim a estabilidade do sistema imunológico.2 Em dezembro desse ano, pesquisadores do Department of Neurosurgery and Brain Repair, University of South Florida e do Department of Neurosurgery and Stanford Stroke Center, Stanford University School of Medicine, publicaram uma revisão extensa sobre o uso de células tronco em doenças relacionadas ao envelhecimento3. Esta revisão captura avanços recentes na pesquisa biológica e translacional em células-tronco, explora o potencial de transplantar células-tronco do sangue do cordão umbilical e mobilizar células-tronco hospedeiras residentes em demência vascular e envelhecimento. Além disso, avalia a capacidade de moléculas, liberadas pelas células infundidas, de recrutar células-tronco residentes na doença de Alzheimer. Abordam ainda, as aplicações atuais de células-tronco adultas, como uma fonte de célula transplantável eficaz e segura, bem como o uso de estimulação elétrica para promover a neurogênese endógena para a doença de Parkinson.

As inovações futuras devem se concentrar em pesquisa sobre a biologia básica das células-tronco do SCUP, ensaios clínicos controlados e controle de qualidade dos bancos SCUP.

  1. Umbilical cord blood transplantation: Still growing and improving. STEM CELLS Transl Med. 2021;10:S62–S74.
  2. First case of low-dose umbilical cord blood therapy for pediatric acute respiratory distress syndrome induced by Pneumocystis carinii pneumonia. Eur J Med Res (2021) 26:100 https://doi.org/10.1186/s40001-021-00548-
  3. Stem Cells for Aging-Related Disorders. Stem Cell Rev Rep. 2021 December ; 17(6): 2054–2058. doi:10.1007/s12015-021-10222-x