11/11/2014

Vacinar é proteger

Manter os filhos livres de doenças é a preocupação mais frequente entre os pais. Para prevenir as crianças de diversos males, inclusive daqueles que podem lhes deixar graves sequelas, é indispensável que sejam aplicadas todas as vacinas recomendadas pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm). Para manter este controle, é indicado que se adquira o cartão de vacinação logo após o nascimento. Veja abaixo as principais vacinas:

Hepatite B

Já nas primeiras 12 horas de vida, os responsáveis devem iniciar a proteção dos pequenos, providenciando a aplicação da vacina contra hepatite B. Depois da primeira dose, aplicada ainda na maternidade, devem-se ser aplicadas mais duas de reforço: com dois e seis meses de vida.

Caso a gestante tenha o vírus da doença, existe o risco de transmissão para o bebê. Por isso, é recomendado o uso imediato de imunoglobulina hiperimune para hepatite (HBGI), além da aplicação das vacinas, conforme descrito acima.

BCG

A BCG é indicada em dose única, na primeira semana de vida, para prevenir a tuberculose. A vacina deve ser aplicada sempre no braço direito, no qual deverá criar uma cicatriz. Se até os seis meses essa marca não aparecer, os pais devem levar a criança ao pediatra para que o profissional avalie a necessidade de nova aplicação.

Poliomelite (IPV/VOP)

A vacina poliomelite é a arma dos pais contra a poliomelite, também conhecida como paralisia infantil. A doença, já erradicada no Brasil, pode provocar sequelas permanentes ou até levar a morte.

A aplicação em duas doses do tipo inativada (IPV) deve ocorrer aos dois e quatro meses de vida. Os tipos das demais doses devem atender à indicação do pediatra, sendo mais indicada a forma oral (VOP). Estão são aplicadas aos seis e 15 meses e também aos cinco anos de idade.

Tríplice bacteriana (DTP e DT)

Eficaz contra a difteria, o tétano e a coqueluche, a DTP deve se aplicada aos dois, quatro, seis e quinze meses, além de quando a criança completar 5 anos. Já aos 14 anos, é indicada a aplicação da DT para imunizar contra as mesmas doenças.

Meningocócica conjugada

A vacina contra meningite C é recomendada aos três e cinco meses. As doses de reforço podem acontecer aos 15 meses e quando a criança completar cinco anos.

Tríplice viral

A proteção contra sarampo, caxumba e rubéola é aplica da em duas doses, com intervalo mínimo de um mês, até os 16 anos.

O calendário de vacinação completo, conforme indicado pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), pode ser consultado neste site (http://www.sbim.org.br/wp-content/uploads/2013/10/crianca_calendarios-sbim_2013-2014_130916.pdf).