06/02/2013

Jornal Nacional -Terapias experimentais com células-tronco já estão sendo feitas no Brasil

Um dos focos de estudo que mais despertam atenção na área da saúde é o da pesquisa com células-tronco. O Brasil foi pioneiro na aplicação da terapia celular em diversas áreas da medicina, incluídas aí a cardiologia e as doenças autoimunes como a diabetes tipo I.

Em reportagem especial, o Jornal Nacional abordou o tema mostrando como o progresso da medicina foi aos poucos ampliando a expectativa de vida das pessoas. Em um primeiro momento, a população conheceu os benefícios da vacinação. No decorrer dos anos, fomos submetidos aos antibióticos e aos transplantes como novas alternativas de tratamento. E por fim, em pleno século XXI, estamos cada vez mais próximos dos benefícios propostos pelas pesquisas com células-tronco – uma verdadeira promessa da medicina regenerativa que busca a cura dentro de nós mesmos.

Iniciado em 2005, o Estudo Multicêntrico Randomizado em Terapia Celular em Cardiopatias (EMRTCC) envolve um centro coordenador – Instituto Nacional de Cardiologia de Laranjeiras – e 34 hospitais e institutos com o intuito de avaliar a segurança e eficácia do implante autólogo de células-tronco de medula óssea em 1200 pacientes brasileiros, com as seguintes cardiopatias: infarto agudo do miocárdio, cardipatia isquêmica crônica, cardiomiopatia dilatada e cardiopatia chagásica.

A Cryopraxis® junto à UNIFESP (Escola Paulista de Medicina) desenvolveram uma formulação específica com células- tronco autólogas usada, com sucesso, em paciente com angina refratária.
Para saber mais, clique aqui.
Os resultados preliminares mostram-se promissores e nos permitem acreditar que, para algumas doenças, a terapia celular será o tratamento de escolha. Para conhecer alguns desses casos e a realidade de quem mais tem esperança no progresso da técnica, clique aqui e veja a primeira reportagem da série especial do JN.

Créditos das imagens: reprodução da matéria do Jornal Nacional