07/03/2014

Terapia Celular para Diabetes Tipo I

A diabete tipo I é uma doença auto-imune caracterizada pela destruição das células produtoras de insulina mediada por linfócitos da própria pessoa. A maioria das pesquisas tem sido focada no uso de drogas imunossupressoras ou imunomoduladoras. Entretanto, ate agora nenhuma das drogas foi capaz de reverter a diabetes tipo I e tornar-se uma prática médica padrão.

Recentemente as pesquisas clínicas com uso de células hematopoéticas da medula óssea autóloga em adultos portadores de diabete tipo I demonstraram que o método era seguro e eficaz. Este estudo, agora ampliado, está sendo realizado no Brasil pelo grupo de pesquisadores da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto.

As pesquisas clínicas com o uso das células do sangue de cordão umbilical em crianças com diabetes tipo I, que tiveram seu sangue armazenado ao nascer, começaram em 2009 e os resultados iniciais se revelaram seguros. Estes estudos estão baseados no potencial das células do sangue de cordão umbilical em restaurar a regulação imunológica.

Algumas questões práticas fornecem razões adicionais para o uso das células do sangue de cordão umbilical em terapias celulares. A segurança de uso, uma vez que o material pertence a própria criança. O fato de o material ter sido coletado ao nascimento e permanecer armazenado, não necessitando de intervenções adicionais como a punção de medula óssea que é um método invasivo.

Existem hoje, mais de dez estudos clínicos em andamento com o uso das células do sangue de cordão umbilical autólogo, com diferentes abordagens.

Veja abaixo os estudos em andamento com o uso de células do sangue de cordão umbilical autólogo em diabete tipo I.

http://www.clinicaltrial.gov/ct2/results?term=umbilical+cord+blood+and+diabetes+type+I&Search=Search