26/11/2014

Terapia celular com células-tronco autólogas pode ajudar pacientes que sofreram AVC

Um estudo publicado recentemente pela revista Stem Cells Translational Medicine, mostrou que o uso de células-tronco autólogas (do próprio paciente) pode ajudar no tratamento de acidente vascular cerebral (AVC). Conhecido como derrame cerebral, o AVC é hoje a principal causa de morte no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, e a terceira doença que mais mata no mundo.
A pesquisa liderada pelo neurologista Jeremy Chataway, da University College London, utilizou a infusão intra-arterial de células CD34+ autólogas em homens e mulheres com idades entre 65-74 anos e 75-84 anos logo após o AVC. As taxas de prevalência de AVC entre os homens excederam as taxas entre as mulheres. O resultado mostrou que, em um grupo de cinco pacientes, houve boa tolerância à terapia, melhorias nos padrões clínicos funcionais e reduções no volume de lesão após seis meses sem reações adversas.
Na avaliação dos pesquisadores, o tratamento precoce foi fundamental para o estudo. A infusão das células logo após o AVC foi considerada extremamente importante neste tipo de terapia. O grupo observou que não houve complicações relacionadas à intervenção e os pacientes toleraram bem o tratamento com as células-tronco. Todos os pacientes apresentaram melhora nos escores funcionais clínicos e redução no volume de lesão após 180 dias, com uma variação percentual média do valor basal de 26% (ver figura). Os autores observaram uma tendência de melhora funcional, sem nenhum sinal de acidente vascular cerebral pós-intervenção, malformação vascular, ou a formação de tumores.

O estudo sugere que este tipo de intervenção é possível e seguro. Os autores, encorajados por estes resultados, esperam iniciar novos estudos para avaliar os critérios de elegibilidade, dosagem, via de infusão, prazos e marcadores antes de passar para ensaios clínicos maiores.
O sucesso de terapias com células-tronco para AVC isquêmico em modelos animais incentivou a translação dessas terapias para humanos. Já foi demonstrado por diversos pesquisadores que o tratamento com células-tronco CD34+, a principal fonte de células do sangue e de células endoteliais (formadoras de vasos), melhora a recuperação funcional e reduz o tamanho do enfarte em modelos de roedores. Em um ensaio utilizando células mononucleares de medula óssea, a concentração de células CD34 + foi correlacionada com o a melhora funcional.

AVC para o site

Imagem: STEM CELLS TRANSLATIONALMEDICINE 2014;3:1322–1330