22/01/2015

Os avanços da utilização de Células-Tronco nas Doenças Neuronais

Por Dra. Maria Helena Nicola*

As células-tronco proporcionam uma abordagem alternativa à terapia de várias doenças, como por exemplo: distúrbios neurológicos e doenças neurodegenerativas.

Até recentemente acreditava-se que o tecido nervoso era incapaz de autorreparação e renovação, de modo que a regeneração desses tecidos depois de uma lesão neurológica era considerada impossível. A descoberta das células-tronco neurais fez os cientistas pensarem em utilizá-las na reparação e no tratamento de distúrbios neurológicos. Entretanto as células-tronco neurais são de difícil obtenção, o que os levou a avaliar o papel potencial das células-tronco do sangue do cordão umbilical como uma ferramenta terapêutica promissora. Pesquisas extensivas foram focadas na capacidade destas células de se transformar em células neurais ou de induzir a diferenciação das células-tronco residentes para se diferenciarem em células neurais1.

Vários estudos clínicos com a administração de células-tronco de sangue de cordão umbilical (SCU) do próprio indivíduo (uso autólogo) estão em andamento e já obtiveram resultados que demonstram melhora do quadro clínico geral do paciente.

Atualmente nos Estados Unidos, está em andamento uma pesquisa com mais de 300 pacientes, liderada pela Dra. Kurtzberg, do setor de neuropediatria da Universidade de Duke, pioneira naquele país no desenvolvimento de um estudo clínico piloto para casos de anóxia perinatal. As crianças tiveram suas células de sangue de cordão umbilical armazenadas após o nascimento e se beneficiaram com a terapia celular autóloga. Resultados preliminares mostraram a segurança do procedimento e há previsão de encerramento do estudo em breve, quando serão analisados dados de eficácia do tratamento2.

Estudos clínicos com o uso de células-tronco no tratamento de autismo3 (Desordem Do Espectro Autista-DEA) estão sendo também desenvolvidos em diferentes laboratórios. Um deles, desenvolvido com pacientes do Shandong Jiaotong Hospital e do Shandong Rehabilitation Therapy Center, na China, mostra que o transplante de células-tronco de sangue de cordão umbilical pode trazer melhoras em sintomas comportamentais de indivíduos com autismo.

Dra. Kurtzberg, afirma: “O autismo, acidente vascular cerebral e paralisia cerebral são condições neurológicas que comprometem a função e qualidade de vida para estas crianças e adultos. Se tivermos bons resultados utilizando células do sangue do cordão umbilical em promover a reparação de áreas disfuncionais ou danificados do cérebro, eles terão um enorme impacto social e pessoal”.

* Dra. Maria Helena Nicola é coordenadora de P&D da Cryopraxis.

Referências:
1 – Rodrigues, MA, Sanberg PR, , Cruz ,LE,  Garbuzova-Davis. The innate and adaptive immunological aspects in neurodegenerative diseases. Journal of Neuroimmunology, 269( 1-2): 1–8. 2014.
2 –  Cotten,MC, Kurtzberg, J. et al. Feasibility of Autologous Cord Blood Cells for Infants with Hypoxic-Ischemic Encephalopathy . J Pediatr 2014

3 – Transplantation of human cord blood mononuclear cells and umbilical cord-derived mesenchymal stem cells in autism. J Transl Med. 2013; 11: 196.)