25/02/2015

Doenças de verão mais comuns em crianças

 

Verão é época de sol, férias e muita diversão ao ar livre para as crianças. Mas é também um período propício para algumas doenças, que podem comprometer a saúde dos pequenos e levar muita preocupação aos pais.

Com alguns cuidados é possível evitar grande parte dos males da estação. A seguir, confira uma lista com algumas doenças de verão mais comuns entre as crianças e veja o que fazer em cada caso:

  • Micoses

As micoses são doenças de pele causadas por fungos e leveduras, que crescem com facilidade no calor e umidade. Há inúmeros tipos de micoses que comprometem as pessoas em quase todas as idades, principalmente no verão. A micose pode ocorrer no couro cabeludo, pele do corpo, mãos, pés e também nas unhas.

Leve as crianças somente para piscinas de água limpa, não compartilhe toalhas, evite que a criança ande descalça em poças ao redor da piscina, seque bem os pés e não deixe os pequenos ficarem muito tempo com roupas úmidas.

  • Brotoeja

A brotoeja forma bolhas vermelhas, principalmente, no pescoço e dobrinhas do bebê. A erupção na pele está relacionada ao calor. Mantenha a criança com roupas frescas.

 

  • Desidratação

A desidratação é a perda de líquidos e sais minerais do corpo. Sintomas como irritação, sede excessiva, olhos fundos, pele ressecada podem acabar com a diversão da criançada. No verão, a criança deve beber mais líquido e os alimentos precisam ser transportados em bolsas térmicas com gelo. Leve uma garrafa de água filtrada aonde for, ofereça à criança alimentos mais leves e que contenham muito líquido, como frutas.

  • Insolação

A insolação é provocada pela exposição excessiva ao sol, que pode ser uma distração dos pais. Ela pode provocar intensa falta de ar, dor de cabeça, náuseas e tontura, temperatura do corpo elevada, pele quente, avermelhada e seca, extremidades arroxeadas e até mesmo a inconsciência.

Passar o dia todo sob o sol não é recomendado para nenhuma criança. Evite que seu filho tome sol entre 10h e 16h. Mesmo nos horários considerados próprios para o banho de sol, ele deve fazer pausas nas brincadeiras, ficar na sombra e beber água.

  • Bichos geográficos

Transmitida por animais domésticos, a larva migrans, conhecida popularmente como bicho geográfico, é um problema comum no verão. Em contato com as fezes de cães e gatos presentes na areia da praia, por exemplo, os pés são uma porta de entrada do bicho para o corpo.

Evitar contato com areia principalmente se notar a presença de animais. Use uma toalha limpa ou uma canga para evitar o contato com áreas que podem estar contaminadas com a larva.

  • Conjuntivite bacteriana

A conjuntivite deixa os olhos inflamados, vermelhos e pode ocorrer a liberação de pus, que forma uma substância grudenta. Para prevenir, evite que a criança frequente praias impróprias para banho e piscinas que não estejam devidamente tratadas. Não deixe que ela coloque as mãos nos olhos infectados e evite compartilhar toalhas. Procure um oftalmologista para tratar.

  • Hepatite A

Causada por vírus, a hepatite viral do tipo A, que ataca o fígado, é outra doença comum do verão. O maior contato com o meio ambiente, a frequente aglomeração de pessoas e a precariedade na conservação da água e dos alimentos são fatores de risco para contrair a doença.

Ofereça alimentos de procedência conhecida e não deixe seu filho entrar em águas poluídas com coliformes fecais.

  • Diarreia

A perda de água pelas fezes, geralmente por infecção intestinal, pode levar à desidratação. A doença é causada por bactérias presentes em alimentos, na água ou, ainda, por vírus. Para prevenir, ofereça alimentos de procedência conhecida e tenha cuidado com o armazenamento e transporte. Não deixe alimentos fora da geladeira e lave sempre bem as suas mãos e das crianças.

Fontes: Hospital Federal de Bonsucesso, Sociedade Brasileira de Dermatologia, Bolsa de Mulher, Portal GNT e Folha de S. Paulo.