28/01/2013

Cryopraxis® debate com 400 médicos no RJ e SP o tema asfixia neonatal com cientistas norte- americanos.

As experiências mundiais com o uso da terapia celular na obstetrícia e neurologia foram debatidas com classe médica em 1º e 2 de abril, no Rio e em São Paulo.

A Cryopraxis®, em parceria com a Rede D´Or São Luiz, organizou um evento internacional, no qual foram recebidos especialistas norte-americanos, referências em estudos com terapia celular em hipóxia do recém-nascido. O Dr. Paul Sanberg, consultor da Cryopraxis® e vice-reitor da Universidade do Sul da Flórida e Dr. Evan Snyder, chefe do laboratório de terapia celular do Sanford-Burnham Medical Research Institute, participaram das palestras: ‘Células-tronco na Asfixia Perinatal, mudando prognóstico’.

Além do evento em parceria com a Rede D’or os pesquisadores também tiveram a debater o tema com médicos, pesquisadores e alunos das principais universidades de São Paulo, a USP e a UNIFESP. Este encontro contou com a participação do Serviço de ginecologia e obstetrícia da Faculdade de Medicina da USP e com o Serviço de Neurologia da UNIFESP tendo como mediadores os Drs. Marcelo Zugaib e Acary Bulle.

“A anóxia perinatal é uma das principais causas de óbito de recém-nascidos em todo o mundo e é responsável por sequelas graves e muitas vezes irreversíveis. Segundo dados do Ministério da Saúde em 2011, cerca de 2% dos nascimentos no Brasil apresentam algum grau de asfixia”, explica o obstetra e diretor médico da Cryopraxis®, Dr. Alberto d´Auria.

Conforme os pesquisadores a terapia celular é proposta como uma alternativa para o tratamento das lesões oriundas do evento hipóxico-isquêmico e de outras doenças  neurodegenerativas. Ainda segundo eles: “As pesquisas pré-clínicas (a grande maioria desenvolvidas por eles) e clínicas, por sua vez, já comprovaram a segurança e dão indícios de eficácia do tratamento com o uso das células do sangue de cordão umbilical e placentário das próprias crianças. Apesar dos avanços observados, há ainda um longo caminho a percorrer até que esta seja uma prática corrente na medicina”.

A Cryopraxis®, em parceria com o Hospital Universitário Antonio Pedro, da Universidade Federal Fluminense, está em fase de aprovação, junto ao Comitê de ética da Instituição, de um protocolo de pesquisa clínica para a avaliação da segurança do uso de células de sangue de cordão umbilical da própria criança na asfixia neonatal, contribuído assim de forma efetiva para os avanços da medicina regenerativa no Brasil.