Vacina da febre amarela

Com o surto de febre amarela em Minas Gerais e o aparecimento de casos em outros estados, como São Paulo e Espírito Santo, surgiu uma grande procura pela vacina contra a doença, fazendo os estoques esvaziarem em alguns lugares do país. Mas será que todo mundo deve tomar a vacina?

Vaccine

Segundo os médicos, a imunização contra a febre amarela não tem recomendação de uso universal em nosso país. E só devem buscar se vacinar as pessoas que vivem ou vão viajar para áreas de risco de contágio.
Além disso, por se tratar de uma imunização com vírus vivo, existem restrições para aplicação da vacina em alguns grupos, como grávidas, lactantes, maiores de 60 anos, menores de 9 meses e pessoas com doenças crônicas ou imunidade reduzida. No caso das mulheres grávidas a vacina é contraindicada já que existe o risco teórico de infectar o bebê. Se a grávida estiver exposta a um risco muito alto, deve avaliar com seu médico o benefício e risco da vacinação.

Em reação às mulheres que amamentam bebês com menos de seis meses, existe o risco de transferência do vírus vivo para bebês por meio do leite materno. Por isso, as lactantes só devem tomar se houver de fato risco de emergência epidemológica. E deve interromper a amamentação pelo período de 28 dias após a vacina.

Se a opção for pela vacina, para evitar o desmame a mulher que amamenta bebês menores de 6 meses, deve ordenhar e fazer um estoque de leite materno para ser oferecido em copinho neste período. A amamentação não precisa ser interrompida se ele for maior de 6 meses.

No caso de bebês de 6 aos 9 meses incompletos, a vacina só é indicada em situações de emergência epidemológica ou em caso de viagens para áreas de risco.

O calendário vacinal prevê a aplicação da 1ª dose da vacina para todas as crianças aos 9 meses e uma segunda dose de reforço aos 4 anos. Se a criança não foi vacinada aos 9 meses, deve tomar a vacina e o reforço com intervalo mínimo de 30 dias entre as doses. Crianças com mais de 5 anos que nunca foram vacinadas devem administrar a primeira dose da vacina e uma dose de reforço após 10 anos.

Para maiores informações, acesse.

Share This:

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *